Marine fuel global weekly market update

  • : Biofuels, E-fuels, Emissions, Fertilizers, Hydrogen, Oil products, Petrochemicals
  • 01/12/23

A weekly Argus news digest of interest to the conventional and alternative marine fuel markets. To speak to our team about accessing the stories below and access to Argus Marine Fuels, please contact marinefuels@argusmedia.com.

Alternative marine fuels

1 December EU's bio-feedstock rules face reality check: Industry The EU is over-reliant on using "waste" biofuels in its plans to decarbonise the aviation, shipping and trucking sectors, while a shortfall in associated feedstock supply could risk missingemissions-reduction targets unless strategies change, the biofuels industry warns.

1 December Spain's Cepsa, C2X plan 300,000 t/yr e-methanol plant Spanish energy company Cepsa has joined Danish shipping firm AP Moller-Maersk's affiliate C2X to develop 300,000 t/yr of e-methanol production capacity, the first of several production facilities planned by C2X in Spain.

1 December Maersk Tankers orders 10 large ammonia carriers Denmark's Maersk Tankers has confirmed an order for up to 10 very large ammonia carriers (VLAC) from South Korean shipbuilder Hyundai Samho Heavy Industries.

1 December European marine biodiesel prices converge Marine biodiesel blend price spreads converged along regional lines in November, as traded values eased in the west Mediterranean but held ground in northwest European ports.

1 December Tight supplies lift bunker premiums in UAE's Fujairah Bunker premiums in the UAE's Fujairah, the world's fourth largest bunkering port, rose to their highest in 11 months because of regional refinery problems and delayed cargoes from west of Suez.

30 November Kenoil supplies first bio-MGO blend in Singapore Bunker supplier Kenoil Marine Services will supply the first ever biofuel blended with marine gasoil (MGO) in Singapore.

30 November NCL and Yara plan ammonia-fueled containership Norway-based North Sea Container Line (NCL) in a joined venture with Norway-based fertilizer producer Yara will build the world's first containership that will operate on ammonia.

30 November B24 Med prices down in second half November Mediterranean marine biodiesel blend prices trended downwards in the second half of November as subdued bunkering demand combined with easing fundamentals in the underlying markets.

30 November BV launches first rules for hydrogen vessels Classification society Bureau Veritas (BV) has released its first set of classification rules (NR678) for vessels powered by hydrogen, complimenting the existing rules (NR547) on fuel-cell powered vessels which were launched last year.

30 November Second berth at Freeport LNG restarts operations An empty LNG carrier has arrived at the second loading berth of the US' 15mn t/yr Freeport LNG export facility, suggesting the berth is back in action after being offline since June 2022.

30 November Taiwan's Formosa sells more LSFO as RFCC issue drags on Taiwanese private-sector refiner Formosa Petrochemical likely sold around 160,000t (1.03mn bl) of low-sulphur fuel oil (LSFO) after an extended turnaround at its residual fluid catalytic cracker unit (RFCC) at its 540,000 b/d Mailiao refinery, according to traders.

29 November Petroecuador's LNG tender receives no offers Petroecuador did not receive any offers for a tender to import 4.86bcf of LNG over a three and a half month period.

29 November Spain's Enagas plans 2024 LNG maintenance Spain's seven LNG terminals have added extensive maintenance for next year, with constraints set to peak in the summer, according to the latest provisional plan published by Enagas on 27 November.

29 November Biorig to invest €250mn in 10 Spanish biogas plants Spanish firm Biorig will invest €250mn ($274mn) in the development, construction, and operation of 10 biomethane production facilities in the Castilla and Leon region of northwest Spain.

27 November Preem plans further investment on refinery conversion Swedish firm Preem said it plans to invest a further 5.5bn Swedish kronor ($525mn) on converting its 210,000 b/d Lysekil refinery into a renewable fuels plant.

27 November ERGaR asks EU to pull down biomethane ‘trade barrier' Eight European biomethane associations have sent a joint letter to the European Commission asking for the extra-EU imports of biomethane and biomethane-based fuels to be "certifiable and recognized" under the Union Database.

Conventional marine fuels

1 December First public bids for fob diesel cargoes in NWE The northwest European diesel market has seen the first ever bids for fob cargoes on a public platform, as fob ARA trade has grown in importance for the region since the exclusion of Russian products by EU and UK sanctions.

1 December Spot east-west VLSFO spread halves in late November Singapore's fob very low sulphur fuel oil (VLSFO) premium over northwest Europe halved in late November, with demand for bunkers in the city state subdued.

1 December Houston Ship Channel partially closed due to fog The Houston Ship Channel partially closed at 5:30am ET today because of dense fog, halting inbound traffic in the first such closure of the region's fog season.

30 November China boosts refiners' fuel oil access Beijing has issued a surprise new batch of fuel oil import quotas...

30 November Gunvor adds newbuild tanker to its bitumen fleet International trading firm Gunvor has added a 17,779 deadweight tonne (dwt) newbuild bitumen tanker to its global fleet under what is probably a long-term charter arrangement.

30 November Singapore middle distillates stocks slip Singapore's middle distillates stocks inched lower to a five-week low following increased gasoil and jet fuel exports from the city-state.

29 November US Gulf coast MR tanker rates at all-time highs Lengthening Panama Canal transit delays have pressured Medium-Range (MR) tanker rates to record highs, prompting shipowners to remain in the US Gulf coast market and gain leverage in deals for Pacific-bound voyages that involve spiraling costs to transit the canal.

29 November US gasoline, diesel prices continue to fall: EIA Average US retail gasoline and diesel prices continued to fall during the last full week of November, according to the data from the Energy Information Administration (EIA).

29 November Spanish marine fuel sales at Algeciras rose in October Sales of marine fuels from Spain's largest port and bunker hub Algeciras turned higher on the year in October after falling in September, although total Spanish marine fuel demand continued to see sharp falls from 2022.

29 November Mideast Gulf refiners negotiate jet, gasoil term deals Mideast Gulf refiners are negotiating term jet fuel and gasoil supply deals for 2024, but different views on market prices are complicating the discussions.

29 November ExxonMobil Fawley's new hydrotreater to run from 2024 ExxonMobil's 270,000 b/d Fawley refinery in southern England will bring a new unit online next year — believed to be a hydrotreater — to boost low-sulphur diesel production by 40pc, the company told Argus today.

29 November Kuwait's al-Zour refinery now eyes mid-December restart Kuwaiti refiner Kipic has said it will take another two weeks to restart the new 615,000 b/d al-Zour refinery after the plant ran to a near halt two weeks ago.

28 November ZIM reroutes ships from Arabian and Red seas Israel-based container shipping company ZIM is diverting some of its vessels transiting the Arabian and Red seas and adding war risk insurance premiums.

28 November Large gas carrier newbuild orders rise Orders for very large ethane carriers (VLECs) and LNG carriers led the newbuild market in the week to 19 November, with orders totalling 544,000m³.

28 November Maersk sells stake in Hoegh Autoliners Danish shipping giant Moller-Maersk has sold 20mn shares in Norway's Hoegh Autoliners, cutting its stake in the firm to zero, according to an Oslo Stock Exchange filing.

28 November Sri Lanka approves China's Sinopec refinery proposal Sri Lanka has approved Chinese state-owned Sinopec's proposal to build a refinery at Sri Lanka's Hambantota district on 27 November.

27 November New Panama Canal auctions aimed at record waits The Panama Canal Authority (ACP) began new special auctions last week for vessels without reservations that have been waiting for at least ten days to transit the Panamax locks, following record delays in recent weeks.

27 November TotalEnergies Port Arthur refinery restarts TotalEnergies restarted units at its 238,000 b/d Port Arthur, Texas, refinery, on 23 November.

27 November Dry bulk dominates secondhand vessel market Dry bulk vessels made up the lion's share of deals in secondhand markets in the week to 19 November, with 27 sold compared with nine tanker deals, according to brokers.


Related news posts

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut faucibus consectetur ullamcorper. Proin eu blandit velit. Quisque libero orci, egestas lobortis magna ac, accumsan scelerisque diam. Vestibulum malesuada cursus urna a efficitur. In gravida nisi eget libero aliquet interdum. Nam sit amet felis nisl.

18/04/24

Amapá cancela regime especial de ICMS

Amapá cancela regime especial de ICMS

Rio de Janeiro, 18 April (Argus) — O Secretário da Fazenda (Sefaz) do Amapá (AP) cancelou ontem o regime especial de tributação de empresas importadoras de combustíveis, colocando um fim a uma situação que gerava distorções de preços no mercado de diesel . A decisão do órgão foi publicada no diário oficial desta quarta-feira, dia 17, e contempla os regimes especiais do tributo estadual ICMS de oito empresas, entre elas a Refinaria de Manguinhos, que pertence ao grupo Fit, Amapetro, Axa Oil, Alba Trading e Father Trading. No caso da Amapetro, a empresa pagava uma alíquota efetiva de 4pc do valor da importação nas compras de outros países para uso próprio para consumo dentro do estado. Considerando a média do indicador Argus de importação de diesel de origem russa ao longo de março, isso equivaleria a R$136,9/m³.O valor atual do ICMS nos outros estados brasileiros é de R$1.063/m³ desde 1 de fevereiro. O estado teria importado 197.244m³ de diesel em março, de acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). Isso equivale a 15,9pc do total de diesel importado pelo Brasil no mês. O consumo de diesel A do estado foi de 6.250m³ no mês passado, equivalente a 0,1pc do consumo nacional, de acordo com os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). As autorizações do estado criavam distorções de preços no mercado e perdas de arrecadação fiscal em várias estados onde o produto acabava sendo consumido. Associações de produtores e distribuidores de diesel vinham pressionando o poder público nos últimos meses para derrubar esses regimes especiais. De acordo com o Instituto Combustível Legal, a medida causou um prejuízo de R$1 bilhão aos estados onde o combustível importado no âmbito do regime especial era efetivamente consumido, citando os estados de São Paulo, Paraná e Pernambuco como principais destinos. No início do mês, a Refina Brasil, que reúne as refinarias de petróleo independentes do país, estimou que o contribuinte amapaense pagava um valor próximo a R$0,83/l em subsídios para importadores. Por Amance Boutin Envie comentários e solicite mais informações em feedback@argusmedia.com Copyright © 2024. Argus Media group . Todos os direitos reservados.

Conab: Safra de cana-de-açúcar bate recorde


18/04/24
18/04/24

Conab: Safra de cana-de-açúcar bate recorde

Sao Paulo, 18 April (Argus) — A moagem de cana-de-açúcar da safra 2023-24 foi a maior da história do país, em meio a condições climáticas favoráveis e investimentos no setor, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O processamento total de matéria-prima da safra de 2023-24, entre abril de 2023 e o mesmo mês deste ano, totalizou 713,2 milhões de t, alta de 16pc em comparação a 610,8 milhões de t na temporada anterior. As áreas destinadas à atividade canavieira aumentaram 0,5pc, para 8,3 milhões de hectares (ha). A maior disponibilidade de matéria-prima estendeu as operações de moagem – que normalmente param em novembro – até dezembro em importantes estados produtores, como São Paulo. Produção de etanol Tanto a produção de etanol quanto a de açúcar cresceram, segundo a Conab. A produção total de etanol do Brasil – excluindo o biocombustível à base de milho – atingiu 29,6 milhões de m³, salto de 11pc na base anual. O etanol hidratado representou a maior parte do crescimento do processamento este ano, totalizando 17,6 milhões de m³, aumento de 16pc em relação ao ciclo anterior. A paridade favorável para o E100 frente à gasolina na bomba nos principais estados consumidores impulsionou a demanda pelo biocombustível na temporada. Já a produção de etanol anidro subiu 6,5pc, para 12 milhões de m³. O processamento de etanol à base de milho avançou 33pc, registrando 5,9 milhões de m³, com crescentes investimentos no setor tanto no Centro-Sul quanto em outras regiões. O anidro de milho subiu 45pc, para 2,2 milhões de m³. Para o hidratado, o resultado foi de 3,6 milhões de m³, alta anual de 26pc. O Brasil exportou 2,5 milhões de m³ de etanol na temporada de 2023-24, queda de 2,9pc em comparação à safra passada. Os Estados Unidos foram os maiores compradores do biocombustível, com 33pc dos embarques. Em seguida, a Coreia do Sul e o hub Amsterdã-Roterdã-Antuérpia (ARA) responderam por 17pc e 12pc, respectivamente. Já as importações de etanol caíram 43pc em comparação ao ano anterior, somando 215.000m³. Quase todo o produto chegou dos EUA e do Paraguai, que representaram 55,5pc e 44,3pc do volume total. Enquanto isso, a produção de açúcar aumentou 24pc, para 45,6 milhões de t, com usinas direcionando mais matéria-prima para o adoçante em meio a preços atrativos para a commodity no mercado internacional. O Brasil exportou 35,2 milhões de t de açúcar de abril a março, alta de 26pc no ano, em um cenário em que grandes exportadores, como Índia e Paquistão, diminuíram as entregas. China, Índia e Indonésia foram os maiores importadores do produto brasileiro. Por Laura Guedes Envie comentários e solicite mais informações em feedback@argusmedia.com Copyright © 2024. Argus Media group . Todos os direitos reservados.

ANP autoriza teste de B100 em navegação fluvial


12/04/24
12/04/24

ANP autoriza teste de B100 em navegação fluvial

Sao Paulo, 12 April (Argus) — A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autorizou o uso de biodiesel puro, também conhecido como B100, para navegação fluvial. A ANP aprovou um teste usando 100pc de biodiesel em uma embarcação fluvial da empresa de logística de transporte Hermasa Navegação da Amazônia. A agência regula o uso experimental do biocombustível e de suas misturas no diesel em quantidades acima do mandato obrigatório, mas não prevê expressamente o uso em embarcações. Já a Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês) permite o uso de biocombustíveis, incluindo o biodiesel. O mandato de mescla obrigatório para o biodiesel no combustível fóssil está em 14pc desde 1 de março. Recentemente, companhias como Amaggi e JBS iniciaram testes com B100 em suas frotas de caminhões de máquinas agrícolas. Por Laura Guedes Envie comentários e solicite mais informações em feedback@argusmedia.com Copyright © 2024. Argus Media group . Todos os direitos reservados.

Safra de cana-de-açúcar 2023-24 é a maior da história


12/04/24
12/04/24

Safra de cana-de-açúcar 2023-24 é a maior da história

Sao Paulo, 12 April (Argus) — A safra de cana-de-açúcar do Centro-Sul de 2023-24 foi encerrada com a maior produção de etanol desde 2019-20 e a moagem mais elevada da história. As usinas da região entregaram 33,59 milhões de m³ de etanol ao mercado na temporada — de 1 de abril de 2023 a 31 de março de 2024 —, alta de 16pc em relação aos 28,92 milhões de m³ no ciclo anterior e de 1pc em comparação ao recorde prévio, segundo dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). A produção de etanol hidratado cresceu 23pc na base anual, para 20,49 milhões de m³. Já a de anidro subiu 6,6pc, para 13,1 milhões de m³, ultrapassando o recorde anterior, registrado na safra 2022-23. O processamento de etanol à base de milho para todo o período avançou 41pc na variação anual, para 6,29 milhões de m³. Isto representa cerca de 19pc do volume total de biocombustível produzido na região. O mix de produção para a temporada ficou em 51pc para o etanol e 49pc para o açúcar, ante 54pc para o biocombustível e 46pc para o adoçante em 2022-23. As usinas do Centro-Sul moeram 654,4 milhões de toneladas (t) de cana-de-açúcar no ciclo, um recorde no país. Na safra anterior, foram processadas 548,6 milhões de t. Produtores venderam 32,7 milhões de m³ de etanol no período, salto de 12pc em relação à temporada anterior. No mercado doméstico, as vendas de hidratado subiram 20pc, para 18,6 milhões de m³, enquanto as de anidro subiram 5,7pc, para 11,67 milhões de m³. Já as exportações recuaram 4,7pc, para 2,48 milhões de m³. A Coreia do Sul foi a maior compradora, com 33pc dos embarques, seguida por Estados Unidos e Holanda, com 18pc e 16pc, respectivamente. A paridade favorável para o hidratado frente à gasolina na bomba impulsionou o consumo do biocombustível no período. A média da paridade para a safra ficou em 65pc, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Para 2024-25, a Unica espera que 230 unidades produtoras de etanol estejam operando até o fim de abril, ante 212 no mesmo período do ano passado. Segunda metade de março A produção de etanol no Centro-Sul cresceu 37pc, para 528.000m³ na segunda metade de março em comparação ao ano anterior. A produção de hidratado atingiu 429.000m³, alta de 92pc, enquanto a de anidro caiu 38pc, para 99.000m³. O mix de produção para a quinzena ficou em 66,5pc para o etanol e 33,5pc para o açúcar, frente a 64pc para o biocombustível e 36pc para o adoçante na segunda parte do mês em 2023. Enquanto isso, a moagem de cana-de-açúcar avançou 6,5pc, para 5 milhões de t. Produtores venderam 1,8 milhão de m³ de hidratado no mercado doméstico, elevação em relação a 1,1 milhão de m³ no mesmo período do ano passado. As vendas de anidro totalizaram 937.000m³, ante 928.000m³. Já as exportações somaram 247.900m³, acima dos 244.400m³ de março de 2023. Por Laura Guedes Envie comentários e solicite mais informações em feedback@argusmedia.com Copyright © 2024. Argus Media group . Todos os direitos reservados.

Safra 2024-25 deve produzir 32 milhões de m³ de etanol


11/04/24
11/04/24

Safra 2024-25 deve produzir 32 milhões de m³ de etanol

Sao Paulo, 11 April (Argus) — A produção de etanol total para a temporada de 2024-25 deve somar 32 milhões de m³, em comparação com 33 milhões de m³ em 2023-24, com o mercado projetando uma safra de "volta à normalidade", segundo levantamento feito pela Argus com distribuidoras, corretoras e consultorias de biocombustíveis. O biocombustível à base de cana-de-açúcar deve corresponder por 24 milhões de m³ deste total, conforme os participantes de mercado. A expectativa de moagem para o ciclo iniciado na semana passada gira em torno de 590 milhões de t a 620 milhões de t, abaixo do recorde de mais de 650 milhões de t apurado em 2023-24. Já a produção de etanol de milho está estimada entre 7,7 milhões de m³ e 8 milhões de m³, em meio aos investimentos crescentes no setor. Isso significaria uma participação de 24pc do biocombustível produzido a partir do milho na produção nacional, depois de marcar, aproximadamente, 18pc em 2023-24, com 5,9 milhões de m³ até 15 de março, reportou a União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (Unica). A construção de 10 novas usinas que processam o biocombustível do grão está programada para os próximos dois anos, informou a consultoria SCA Brasil. A maior oferta de etanol de milho ajuda a suprir a demanda pelo biocombustível e alivia o cenário de sucroalcooleiras direcionando mais cana para o açúcar. O mix mais açucareiro das usinas deve prosseguir nesta safra frente à continuidade de preços atrativos para o açúcar no mercado internacional. Em 2023-24, o Brasil embarcou cerca de 35 milhões de t do produto, conforme dados da Unica. Grandes produtores da commodity, como Índia e Tailândia, vêm apresentando exportações abaixo do esperado, o que abre espaço para a mercadoria do Brasil – que é o maior exportador de açúcar do mundo. Além disso, o governo indiano está realizando políticas de incentivo à produção e ao uso de etanol, em detrimento do adoçante. No âmbito do biocombustível, as usinas devem direcionar o processamento para o hidratado, considerando uma crescente demanda projetada para o período. Estima-se que, aproximadamente, 20,4 milhões de m³ sejam convertidos em E100 e 11,7 milhões de m³, em anidro. A paridade de preços em todo o país vem se mantendo favorável para o etanol ante a gasolina na bomba. Na semana passada, a relação ficou, em média, em 68pc, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em São Paulo, marcou 62pc. A paridade em 70pc ou menos em relação ao combustível fóssil torna o etanol competitivo e costuma atrair a atenção dos motoristas na hora de abastecer. Em abril, o consumo de hidratado pode atingir até 2 milhões de m³, disseram fontes à Argus . Com a paridade favorável e a busca por etanol em alta, participantes de mercado não descartam que produtores do biocombustível possam elevar seus preços para equilibrar oferta e procura em meados do ano. Participantes também esperam que a temporada 2024-25 seja um retorno ao que se considera uma safra normal, com atividades de moagem de abril a novembro. A perspectiva segue duas safras incomuns recentes: 2021-22, com volumes baixos devido às condições climáticas adversas, e a anterior, com recorde histórico. Para os estoques, o ciclo 2023-24 terminou com dificuldades de acesso ao etanol em alguns estados do Centro-Sul na segunda quinzena de março. Com a procura aquecida e a disponibilidade de estoques concentrada em poucas usinas, participantes observaram filas de caminhões nas unidades. "Tem muito etanol guardado, mas em poucas usinas, não tem velocidade de atender todo mundo na pressa que cada um tem", disse uma fonte à Argus . Na primeira quinzena de março, o Centro-Sul estava com 4 milhões de m³ de produto estocado, queda de 22pc em relação ao período anterior e alta de 29pc na base anual, de acordo com o Ministério da Agricultura. A safra 2023-24 deve terminar com estoques acima de 30 dias, contou uma distribuidora à Argus . Em abril, espera-se que, com todas as usinas de cana-de-açúcar operando, os problemas com estas retiradas sejam sanados. A adoção, pelos produtores e empresas de trading, de uma estratégia de "carry" – estocagem de combustíveis comprados no mercado à vista para revenda futura – pode ocorrer em setembro, a depender da demanda, disse uma distribuidora. Por Laura Guedes Envie comentários e solicite mais informações em feedback@argusmedia.com Copyright © 2024. Argus Media group . Todos os direitos reservados.

Business intelligence reports

Get concise, trustworthy and unbiased analysis of the latest trends and developments in oil and energy markets. These reports are specially created for decision makers who don’t have time to track markets day-by-day, minute-by-minute.

Learn more